Colonoscopias salvam vidas!

E o processo  pode ser muito simples!  A limpeza completa do intestino é fundamental para aumentarmos a chance de achar um pólipo intestinal.

O pólipo é uma elevação  da parede interna do intestino, como uma pequena verruga ou tumoração, geralmente benignos, mas que podem constituir lesão precursora de um tumor. Os pólipos podem ser elevações da mucosa, e são chamados de pólipos sésseis neste caso. (FOTOS 1 ,2 e 3) Podem também ter um prolongamento ou pedículo, e assim são chamados pediculados. (FOTOS 4 e 5)

Quando um tumor precoce é encontrado durante uma colonoscopia, a chance de cura do paciente é de 90% !

A colonoscopia completa ( ou íleo-colonoscopia)  é um exame muito importante para todos, após os 50 anos. O rastreamento endoscópico de pequenas tumorações ou pólipos intestinais através da colonoscopia permite a prevenção do câncer colorretal ou câncer do intestino.

Os fatores de risco para o câncer do intestino são hoje bem reconhecidos: tabagismo, alcoolismo, dieta pobre em gordura e carne vermelha, obesidade e sedentarismo. Incluimos ainda nesta listagem, indivíduos que apresentam doenças inflamatórias no intestino sem tratamento adequado por mais de 10 anos, radioterapia previa e famílias de pacientes com alterações genéticas que predispõem a diferentes tumores, incluindo o câncer do intestino.

O exame adequado necessita também uma preparação adequada, removendo todo o conteúdo fecal e possibilitando a visualização de toda a superfície intestinal.  (FOTO 6)

Equipamentos endoscópicos de ultima geração tem proporcionado também recursos modernos que aumentam a chance de visualização de pequenos pólipos.Um dos recursos disponíveis é o chamado FICE e a magnificação das imagens em até 200 vezes ! (FOTO 7) O FICE consiste na coloração em diferentes espectros de luz,   (FOTO 8)

Esperamos, através do aconselhamento e rastreamento adequado, contribuir para o aumento da detecção das lesões precoces, como as demonstradas acima, que podem ser removidas endoscopicamente. Assim, poderemos evitar encontrar tumores avançados e obstrutivos (FOTO 9), cujo tratamento  é muito mais complexo e a sobrevida muitas vezes comprometida.

O desenvolvimento das técnicas endoscópicas tem possibilitado a ressecção e tratamento endoscópico das lesões pré-malignas, evitando-se assim a necessidade da cirurgia colorretal. A retirada de um pólipo, ou polipectomia, pode ser feita com diferentes instrumentos: pinças, alças diatérmicas e com ressecção submucosa. (FOTOS 10 e 11)

Uma das técnicas endoscópicas utilizadas para a adequada localização dos pólipo mais planos é a coloração da submucosa com a injeção de uma substancia corante, geralmente o índigo Carmim. Esta técnica é conhecida como cromoscopia. (FOTO 12)

Para a realização de procedimentos endoscópicos terapêuticos, necessitamos de instrumental adequado, que consistem em pinças de Hot biopsy,  alcas de polipectomia, agulhas de injeção, cestas para retiradas dos pólipos e clips para hemostasia e fechamento dos orifícios maiores. Recentemente também temos utilizado instrumentos cortantes mais complexos, que permitem a ressecção de toda a mucosa, como as cutting knifes.