Fisiologia Anorretal

A disfunção colônica, anorretal e do assoalho pélvico vem acometendo um numero crescente de indivíduos,  sendo particularmente comum entre as mulheres. Sabe-se que há uma forte correlação com o  número de partos e com o processo do envelhecimento, envolvendo alterações anatômicas e funcionais  da musculatura do piso pelviano e órgãos pélvicos.  Estima-se  que mais de 15% das multíparas são afetadas por algum tipo de disfunção do assoalho pélvico, gerando sintomas de incontinência fecal e urinaria, sensação de evacuação incompleta ou bloqueio evacuatório, prolapsos de órgãos e síndromes dolorosas perineais. Além destas condições, frequentemente encontramos a coexistência de patologias que levam a disfunção anorretal, como as hemorroidas, fissuras e dermatites anorretais.  As patologias  são complexas e podem coexistir, tornando a avaliação clinica e com métodos  funcionais  e de imagem  fundamentais. Entre os métodos funcionais, citamos a manometria anorretal,  o tempo de trânsito colonico, o teste do hidrogênio expirado, o tempo de latência do nervo pudendo, a  ultrassonografia tridimensional, a cinedefecografia e a defecorressonância magnética. Leia mais

Dra Lucia de Oliveira estará no XXXII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA

Sobre o Livro A disfunção colônica, anorretal e do assoalho pélvico vem acometendo um numero crescente de indivíduos,  sendo particularmente comum entre as mulheres. Sabe-se que há uma forte correlação com o  número de partos e com o processo do envelhecimento, envolvendo alterações anatômicas e funcionais  da musculatura do piso pelviano e órgãos pélvicos. 

2º Congresso Internacional da Associação Latino-Americana do Assoalho Pélvico

O congresso será em São Paulo, polo de conhecimento médico e científico do Brasil e da América Latina, e expandirá a experiência de 2016, com uma expectativa de 1000 participantes. Para isso, é de suma importância, o apoio da indústria farmacêutica, de materiais e de equipamentos e acreditamos que terão, em contrapartida, a possibilidade de interagir com médicos, fisioterapeutas e enfermeiros dedicados ao tratamento das disfunções do assoalho pélvico. Esperamos contar com sua presença e auxílio ao nosso evento.

 

Como recuperar o controle intestinal

A falta do controle fecal é uma condição mais comum do que imaginamos  ! Procure um especialista !

A perda do controle esfincteriano é uma condição conhecida por incontinência fecal, e atinge de 1,4 a 18% da população geral, principalmente mulheres com historia de partos vaginais, na pós-menopausa e indivíduos idosos. A condição provavelmente é mais frequente do que imaginamos, uma vez que o individuo acometido, muitas vezes esconde o problema do médico, por vergonha e embaraço. Um  recente levantamento realizado pela internet  nos Estados Unidos entre mulheres jovens, donas de casa, revelou uma incidência de incontinência em 20% das 6000 mulheres que responderam ao questionário. Interessante que a grande parte destas mulheres nunca tinham procurado auxilio médico. Leia mais

ALAPP EM BOGOTÁ – SAIBA AQUI O QUE ACONTECEU !!!

A ALAPP, Associação latino Americana de Piso Pélvico, realizou o primeiro congresso em Bogotá, Colômbia, com cerca de 450 participantes.

A Sociedade, presidida pelo Dr. Paulo Palma, é uma iniciativa brasileira, com a intenção de integração dos profissionais que participam do tratamento das disfunções do assoalho pélvico. O congresso, contou com a participação de renomados profissionais de toda a América Latina, além de palestrantes da Europa, Estados Unidos, Canadá e Austrália.

O workshop do Prof. Peter Petros, sobre sua Teoria Integral foi um sucesso !

A Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia participou amplamente, tendo sido representada pela Dra.Lúcia Câmara Castro Oliveira da atual diretoria, e ainda pelos Drs.Sânzio Amaral, Mara Rita Salum, Sthela Regadas e Carlos Sobrado.

Saiba Mais…